Brazil’s Civil Society Demands Biden End Behind-Closed-Doors Meetings With Bolsonaro Regime
,

Brazil’s Civil Society Demands Biden End Behind-Closed-Doors Meetings With Bolsonaro Regime

SHARE

199 Brazilian networks and civil society organisations have written an open letter to the United States Government urging it to end behind-closed-doors negotiations with the Bolsonaro regime. Read the letter in full below.


A LETTER FROM BRAZILIAN CIVIL SOCIETY TO THE GOVERNMENT OF THE UNITED STATES OF AMERICA

Brazil, April 6th, 2021

In his inauguration speech, President Joe Biden listed as the main challenges facing his government the fight against the pandemic, structural racism, a changing climate and the place of his country in the world. America, he said, should lead not by the example of its power, but by the power of its example.

That message is now under test, as the Biden administration holds talks with the government of Jair Bolsonaro, in Brazil, about the environment. Negotiations proceed away from the eyes of civil society – which the Brazilian President has referred to as “a cancer”. The Brazilian government brags about those negotiations, which would imply in the transfer of financial resources. President Biden needs to choose between being true to his speech and lending political prestige and money to Bolsonaro. He can’t have both.

Brazil’s extremist ruler justified the January 6th putsch in America repeating Donald Trump’s lies about electoral fraud. Back home, he attacks human rights and democracy. Bolsonaro is stimulating the destruction of the Amazon rainforest and other biomes, and increasing Brazilian carbon emissions. He puts the Paris Agreement in jeopardy by decreasing the ambition of national climate pledges. A Covid denier, he has turned his country into a hot zone of new coronavirus strains, sentencing thousands of his fellow citizens to death.

Bolsonaro’s anti-environmental policy has dismantled law enforcement agencies, weakened regulations and encouraged the invasion of indigenous lands, quilombola(maroon) and other traditional territories, and protected areas. The presence of invaders has brought along more violence and diseases like Covid-19 among forest peoples. Recently Bolsonaro was sued by indigenous peoples in the International Criminal Court for crimes against humanity

It is not sensible to expect any solutions for the Amazon to stem from closed-door meetings with its worst enemy. Any project to help Brazil must be built from dialogue with civil society, subnational governments, academia and, above all, with the local communities that know how to protect the forest and the goods and services it harbors. No talks should move forward until Brazil has slashed deforestation rates to the level required by the national climate change law and until the string of bill proposals sent do Congress containing environmental setbacks is withdrawn. Negotiating with Bolsonaro is not the same as helping Brazil solve its problems.

Any deal that fails to respect those premises would be an endorsement do the humanitarian tragedy and to the environmental and civilizational setback imposed by Bolsonaro. Biden’s election has enshrined the will of Americans to be in the right side of history. Doing it right for Brazilians would be a powerful show of that will.

Undersigned:

NETWORKS

1. Agentes de Pastoral Negros do Brasil – APNs 2. Articulação para o Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil 3. Associação Brasileira de Imprensa – ABI 4. Associação dos Povos Indígenas do Brasil – Apib 5. Associação Nacional de Pós-graduandos – ANPG 6. Central Única dos Trabalhadores – CUT 7. Coalizão Negra por Direitos 8. Conselho Nacional de Seringueiros – CNS 9. Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Quilombolas – CONAq 10. Fórum da Amazônia Oriental – Faor 11. Fórum Nacional de Travestis e Transexuais Negras e Negros – Fonatrans 12. Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito 13. Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social 14. Movimento das Trabalhadoras e Trabalhadores Sem-Teto – MTST Brasil 15. Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB 16. Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA 17. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST 18. Movimento Negro Unificado – MNU 19. Observatório do Clima 20. RCA – Rede de Cooperação Amazônica 21. Rede GTA 22. Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas 23. Uneafro Brasil.

CIVIL SOCIETY ORGANIZATIONS

24. 342Amazonia 25. 342Artes 26. 350.org Brasil 27. Abpes – Associação Brasileira de Pesquisadores de Economia Solidária 28. Ação Educativa 29. Ação Franciscana de Ecologia e Solidariedade – Afes 30. Afro-Gabinete de Articulação Institucional e Jurídica – Aganju 31. Articulação Negra de Pernambuco – Anepe 32. ASSIBGE-RR 33. Associação Alternativa Terrazul 34. Associação Brasileira de Imprensa 35. Associação Brasileira de Reforma Agrária 36. Associação Cultural.Educacional Assistencial Afro Brasileira Ogban 37. Associação de Amigos e Familiares de Pessoas em Privação de Liberdade – MG 38. Associação de Defesa dos Direitos Humanos e Meio Ambiente na Amazônia 39. Associação de Jovens Engajamundo 40. Associação de Mulheres Mãe Venina do Quilombo Curiau 41. Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida – Apremavi 42. Associação dos Moradores e Amigos da Praia Grande (Penha-SC) 43. Associação Evangélica Piauíense – AEPI 44. Associação Interdenominacional de Pastores – Assip 45. Associação para a Gestão Socioambiental do Triângulo Mineiro – Anga 46. Associação Paulista de Cineastas – Apaci 47. Atelier Tuim 48. Avaaz 49. Baía Viva 50. BVRio 51. Carta da Terra Brasil 52. Casa 8 de Março – Organização Feminista do Tocantins 53. Casa das Pretas – RJ 54. Católicas pelo Direito de Decidir 55. Centro de Convivência É de Lei 56. Centro de Cultura Negra do Maranhão 57. Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – Cedenpa 58. Centro de Formação da Negra e do Negro da Transamazônica e Xingu – CFNTX 59. Centro de Promoção da Cidadania e Defesa dos Direitos Humanos Pe. Josimo 60. Centro de Trabalho Indigenista – CTI 61. Centro Franciscano de Defesa de Direitos (Belo Horizonte-MG) 62. CESE Coordenadoria Ecumênica de Serviço 63. Coletiva DIVERSAS 64. Coletivo Amazônico LesBiTrans 65. Coletivo Cara Preta 66. Coletivo de Mulheres Negras Maria-Maria – Comunema 67. Coletivo Feminista Classista Maria vai com as Outras – Baixada Santista 68. Coletivo Filhas do Vento 69. Coletivo Leste Negra 70. Coletivo Negro Universitário da UFMT 71. Coletivo Raízes do Baobá Negras e Negros (Jaú-SP) 72. Coletivo 660 73. Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz 74. Comissão Justiça e Paz da Diocese de Macapá 75. Comissão Pastoral da Terra – CPT-MG 76. Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos do Piauí 77. Comitê REPAM Xingu 78. Comunidade de Roda de Samba Pagode Na Disciplina 79. Conectas Direitos Humanos 80. Consciência em Movimento – Cooperativa de Saberes 81. Conselho Nacional do Laicato do Brasil – Regional Sul 2 82. CSP-Conlutas (Roraima) 83. Cursinho Popular Risoflora 84. Defensores do Planeta 85. Elo Mulheres da Rede Sustentabilidade Amapá 86. Eugênia Magna Broseguini Keys 87. Fase – Solidariedade e Educação 88. FBDS – Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável 89. Fórum de Mulheres da Amazônia Paraense – FMAP 90. Fórum Marielles 91. Frente de Mulheres Negras do DF e Entorno – FMNDFE 92. Frente Estadual pelo Desencarceramento de Minas Gerais 93. Frente Estadual pelo Desencarceramento do Amazonas 94. Frente Favela Brasil 95. Frente Nacional de Mulheres do Funk 96. Fundação Avina 97. Fundação SOS Mata Atlântica 98. Fundação Tide Setubal 99. Gambá 100. GEEMA – Grupo de Estudos em Educação e Meio Ambiente 101. Geledés – Instituto da Mulher Negra 102. Gestos 103. Greenpeace Brasil 104. Grupo de Defesa Ecológica Pequena Semente 105. Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Gênero Feminismos e Interseccionalidade 106. Grupo de Estudos AFETO 107. GT Infraestrutura 108. Ile Igbas Axé Oyá Guere Azan 109. Iniciativa Sankofa 110. Instituto 5 Elementos – Educação para a Sustentabilidade 111. Instituto Afro Cultural da Amazônia – MONA 112. Instituto Afrolatinas 113. Instituto Água e Saneamento – IAS 114. Instituto Aldeias 115. Instituto Aromeiazero 116. Instituto Augusto Carneiro 117. Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas – Ibase 118. Instituto Búzios 119. Instituto Centro de Vida – ICV 120. Instituto ClimaInfo 121. Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia – Idesam 122. Instituto de Energia e Meio Ambiente – Iema 123. Instituto de Estudos Socioeconômicos – Inesc 124. Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola – Imaflora 125. Instituto de Mulheres Negras do Amapá – Imena 126. Instituto de Pesquisa e Formação Indígena – Iepé 127. Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros – Ipeafro 128. Instituto de Pesquisas Ecológicas – IPÊ 129. Instituto de Referência Negra Peregum 130. Instituto Democracia e Sustentabilidade – IDS 131. Instituto Ecológica 132. Instituto Hórus de Desenvolvimento e Conservação Ambiental 133. Instituto Humanista para Cooperação e Desenvolvimento – Hivos 134. Instituto Internacional de Educação do Brasil – IIEB 135. Instituto Mancala 136. Instituto Mulheres da Amazônia 137. Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável – Insea 138. Instituto Nossa Ilhéus 139. Instituto Pensamentos e Ações para Defesa da Democracia 140. Instituto Pesquisa Ambiental da Amazônia – Ipam 141. Instituto Pólis 142. Instituto Sociedade, População e Natureza – ISPN 143. Instituto Socioambiental – ISA 144. Instituto Soma Brasil 145. Instituto SOS Pantanal 146. Instituto Talanoa 147. Instituto Update 148. International Rivers Brasil 149. Justiça e Paz Integridade da Criação – Verbo Divino 150. Mandata Coletiva Quilombo Periférico de Elaine Mineiro – SP 151. Mandata Quilombo – Erica Malunguinho 152. Marcha das Mulheres Negras de São Paulo 153. Marcha das Mulheres Negras de São Paulo – MMNSP 154. Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais 155. Movimento Afrodescendente do Pará – Mocambo 156. Movimento Articulado de Mulheres da Amazônia – Mama 157. Movimento de Mulheres do Campo e da Cidade do Estado 158. Movimento Negro Unificado – MNU (Acre) 159. Movimento Nossa BH 160. Movimento Xingu Vivo Para Sempre 161. Núcleo de Educação Popular Raimundo Teis – NEP 162. Núcleo de Estudos Sociopolíticos da PUC Minas 163. Núcleo Estadual de Mulheres Negras do Espírito Santo 164. Observatório de Justiça e Conservação 165. ONG GHATA – Grupo das Homossexuais Thildes do Amapá 166. PAD – Processo de Articulação e Diálogo Internacional 167. Pastorais Sociais da Arquidiocese de Santarém 168. Ponto de Cultura Brasil dos Buritis 169. Pretaria.Org – Coletivo Pretaria 170. Projeto Hospitais Saudáveis 171. Projeto Meninos e Meninas de Rua 172. Projeto Saúde e Alegria 173. Recanto Sagrado Ubiratan 174. Rede Brasileira de Conselhos -RBdC 175. Rede das Mulheres de Terreiro de Pernambuco 176. Rede de Cooperação Negra e LGBTQI Pretas e Coloridas 177. Rede de Educação Ambiental de Rondônia – Rearo 178. Rede de Educadores Ambientais da Baixada de Jacarepaguá 179. Rede de Organizações Não Governamentais da Mata Atlântica – RMA 180. Rede Educafro Minas 181. Rede Fulanas Negras da Amazônia Brasileira 182. Rede Igrejas e Mineração 183. Rede Internacional de Pesquisa em Barragens Amazônicas 184. Rede Nacional da Promoção e Controle Social da Saúde, Cultura e Direitos de Lésbicas e Bissexuais Negras – Rede Sapatà 185. Rede Pro UC 186. Rede Ubuntu de Educação Popular 187. Rede Um Grito Pela Vida-CRB 188. Renafro Saúde 189. RPPN Águas Claras I e II 190. Serviço Franciscano de Justiça, Paz e Integridade da Criação – Província Santa Cruz 191. Serviço Interfranciscano de Justiça, Paz e Ecologia – Sinfrajupe, 192. Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental – SPVS 193. SOS Amazônia 194. SOS Mata Atlântica 195. Tindari 196. Uiala Mukaji – Sociedade das Mulheres Negras de Pernambuco 197. Unidos pelos Direitos Humanos Brasil 198. Unitransd (SC) 199. Vivat International Brasil.


If you value the work Brasil Wire does, please help keep us running with a donation. Our editorial independence relies on our readers support.